4.6.12

Teresa Raquin



Não gosto de deixar livros a meio, mas comecei um livro que estou com dificuldade em terminar e que me está a estragar o prazer de ler. Inconscientemente, ou não, esqueci-me dele em casa. Na bagagem trouxe 5 livros comprados nas feiras de velharias por 1€, clássicos, todos eles. 

Ontem estava determinada a começar Ana Karenina, mas quando abri o livro li «Quinta parte» e percebi que este é um de três livros e nem sequer, o primeiro. Comecei então a ler Teresa Raquin, de Émile Zola, e estou a adorar. Parece-me o Eça, tanto no retracto mordaz de época, como no naturalismo. É curioso como um livro pode ter causado tanta celeuma e critica, e ter sido considerado tão desvirtuoso e obsceno na altura, ou como diz o autor no seu prefácio forçado «literatura pútrida». É de facto um livro delicioso sobre personagens sanguíneas e nervosas, apaixonadas e intensas e eu estou farta de me rir ao lê-lo.

PS – Entretanto estou quase a acabar o livro e a história complicou-se um bocadinho :).


PPS - Mais para o fim faz lembrar Crime e Castigo de Dostoievski, é um bocadinho mais pesado do que ao início fazia supor. 

4 comentários:

Anônimo disse...

Aqi está uma foto muito bem sacada, especialmente pela Sra. com o saco laranja na cabeça.... LOL

Vanessa Casais disse...

Achei o mesmo heheh

Ana P. disse...

Nunca li!
Beijinhos e proveita as férias ;)

Anônimo disse...

uma bela história, mas só até meio do livro :)

Postar um comentário