14.12.18

Carta ao Pai Natal



Quando o Afonso era criança eu escrevia sempre a carta ao pai Natal com ele. Escrevíamos ao Pai Natal dos CTT, ao pai Natal francês e também para a Finlândia. Por vezes recebíamos a resposta no Verão e o pai-natal pedia desculpa por não ter escrito antes, por falta de tempo. Dizia que andava a banhos e a descansar. Era sempre uma alegria.* 

O modelo que eu usava era o da imagem acima, o mais tradicional da Internet. Ele pintava e eu escrevia. Este ano, fui tirá-lo do baú para a Constança. Adorou. Já não fomos a tempo de escrever para o francês, mas entregámos a carta nos CTT, e também na Imaginarium que este ano tem uma iniciativa para os membros do Club. Os meninos que entregarem a carta no saco que está disponível nas lojas terão uma resposta no Natal!

A Ludilabel, marca da qual sou orgulhosa embaixadora, tem disponível para download no blog uma carta giríssima para o pai natal, espreitem aqui. E o curioso é que começa por pedir uma auto-avaliação por parte das crianças que até são convidadas a descrever as principais marotices. Um óptimo exercício de auto-crítica! Não posso porém deixar porém de recomendar as etiquetas de Natal para colocar nos presentes, aqui, que são as mais giras da blogosfera. (Ao seguirem este link têm 10% de desconto na 1ª encomenda).

Nas minhas pesquisas online dei com estes modelos de carta para imprimir na Pumpkin. Encontrei também um artigo muito curioso do casal mistério sobre cartas que as crianças escreviam ao pai Natal no inicio do séc. XX. Podem ler mais sobre o assunto aqui.

* Outras moradas aqui.

12.12.18

Nos últimos tempos


No final de Outubro a nossa empresa esteve presente no Quartel Aberto dos Bombeiros de S. Pedro de Sintra. Foram dias animados em que os bombeiros abriram as portas e nos mostraram o outro lado do quartel e do serviço de socorro mas sempre misturado com actividades divertidas para os mais pequenos. Este quartel relativamente recente tem imensas condições e dá gosto ver, das camaratas, ás salas de formação, ginásio, sala de descanso e outras mais operacionais. Tem inclusivamente a carcaça de um avião onde são ministradas formações e onde são filmadas as cenas das novelas. Há uma mangueira para escorregar do avião que fez as delicias dos miúdos, isso, o rappel e o trampolim. A Constança adorou a colecção de miniaturas de carros de bombeiros e assim que chegou ao avião, habituada que está, quis logo sentar-se e colocar o cinto :). Mas quem é que a convencia que não íamos a lado nenhum? Sigam-nos no facebook para este e outros eventos. 

Depois destes dias o Afonso magoou-se na aula de ginástica e teve de usar tala durante uma semana. Também eu me magooei a pegar nela a meio de Novembro. Uma ruptura muscular e duas hérnias, imensos exames, e médicos e um repouso forçado. No dia do pijama não os levei à escola mas fartei-me de lhes tirar fotos. Sem poder sair o fim-de-semana todo é dose entretê-la e por isso num dos fins-de-semana dedicámos-nos a fazer uma tarte e biscoitos. A Constança adora cozinhar. 

Tinha recebido bilhetes para o filme português «Carga», mas como não pude ir acabei por oferecer a amigas e alguns no Instagram a quem se mostrou interessado. Este filme aborda a questão do tráfico humano e é importante conhecer esta realidade.

Novembro não foi um mês fácil, mas foi um mês de causas e solidário. Foi um mês de reclusão e resguardo. Que Dezembro nos traga mais sorte e saúde!

6.12.18

Cair da folha


Outubro foi o mês do regresso a sério às rotinas. Arrumei roupeiros, troquei roupa de Verão com Inverno. Deles vi o que já não servia e vendi o que estava bom na Kid to Kid Cascais, o que não não estava reciclei nas lojas H&M (em troca recebemos vales de 5€ para gastar em compras de 30€). Comprámos uma sapateira no IKEA, que foi das melhores compras dos últimos anos e que parece feita à medida daquele cantinho do quarto. Tem uma capacidade maior do que eu supunha, dependendo é claro do tipo de sapatos. Só me custou ter de furar o nosso querido papel de parede. Nesta fase do ano sinto imensa vontade de "destralhar" e arranjar espaço para o que quero que entre. 

Foi também um mês de cuidar de mim, o cair da folha tem destas coisas, faz-nos reflectir sobre a idade. Fui ao lançamento do My Tous, o novo sistema que premeia as clientes mais fiéis da marca. Fui igualmente à Open Mag com a Ana e adorei, obrigada Saber Viver! Para além do saco cheio de goodies que trouxemos, passámos um dia inteiro a cuidar de nós, com testes de pele e cabelo, maquilhagem, workshops, enfim um evento voltado para as mulheres e que nos mostrou as novidades num ambiente descontraído e divertido. Para mães de crianças pequenas esta ordem de soltura por um dia equivale a 30 horas de Spa heheh, e isto só prova que escolhemos bem os pais das crianças porque eles aguentam muito bem as pontas ;).

Sinto cada vez mais vontade de tratar bem de mim sem me dispersar e isso reflete-se nas escolhas e compras que faço. Se experimento um produto e gosto, escuso de mudar. O Mineral 89 cativou-me desde a primeira utilização, pela sua textura fresca que hidrata sem gordura, obrigada Vichy por este presente! O cabelo é outra das minhas apostas. Faço apenas um alisamento por ano e nesta altura já pouco resta mas é o repouso que lhe dou. É claro que o tempo às vezes também não ajuda a que pareça forte e brilhante. Antes pelo contrário, a chuva deixa-o caído, sem brilho e sem graça. Um bom champôo é sempre uma boa aposta, este da Kérastase comprei em promoção no Clubefashion e juntei dois descontos pelo que ficou ainda mais em conta. 

Mais alguém partilha estes ímpetos de arrumações e de tratamentos de beleza por estes meses?

29.11.18

Halloween


Descobrimos recentemente e através de uns amigos as pizzas Transalpinas gigantes (isto não é publicidade paga! Antes fosse :)). São pizzas com cerca de meio metro e são ideais para famílias numerosas. Outubro começou por ser um mês de desafios e a mudança da hora não ajuda às rotinas. Não chegamos todos à mesma hora, mesmo naqueles dias em que somos muitos, como certas Terças ou Segundas e Sextas. A Marta vem tarde da faculdade, há banhos, TPC, e o stress do final do dia acumula-se. Às vezes parecemos pais-bombas prestes a explodir com tanta coisa. Pedir uma pizza alivia-nos de tempo e da árdua tarefa de agradar a seis. 

No outro dia, o Afonso foi convidado para uma festa de Halloween e quando cheguei a casa da L. e vi toda alegria dos miúdos e o carinho que a mãe colocou nas decorações fiquei nostálgica. Quando a Constança não era nascida havia outra disponibilidade, não só para os nossos miúdos como também para convidar os amigos. Motivada por isso fui resgatar os enfeites de outros Halloweens à cave, arranjei teias de aranha e as últimas embalagens de guloseimas com o tema que havia no Lidl e mesmo uma semana depois fiz um jantar com amigos e encomendei pizzas gigantes para todos para nos sobrar tempo para o que realmente importa. 

O Afonso quis mascarar-se de Harry Potter mas eu já não tive grande tempo para procurar uma máscara e improvisei. Uma capa, o símbolo dos Gryffindor aplicado sobre a camisola da escola, e uma vassoura para ele voar. Desenhei-lhe um raio na testa mas do lado errado (porque vi a imagem em espelho e depois já estava ;) e não apaguei). Note to self: Já sei que no Carnaval quer a mesma coisa a ver se encomendo online com tempo. 

No final do dia é isto que realmente importa, ter tempo para os nossos, criar memórias afectivas e também divertirmos-nos. Não interessa nada que seja no dia ou na semana seguinte. O Halloween como o Natal pode ser quando o homem quiser. 

27.11.18

Doce Setembro


Entre férias e regresso à escola, entre matar saudades dos nossos e eventos, ainda houve lugar a dias em casa com ela doente. Cada vez menos este mês é de frio, mas acabam por haver grandes oscilações de temperatura e as primeiras constipações e bronquiolites aparecem logo. Apesar de doente até andou bem disposta e até acabámos por fazer uns bolos. Na imagem um de chocolate e pêra que estava fantástico e cuja receita para a Bimby tirei daqui.

Os últimos dias de sol foram aproveitados ao máximo e ainda fizemos alguns almoços no jardim, com os miúdos e com amigos.  

O Afonso faz-me cada vez mais companhia no cinema. Aproveitámos alguns bilhetes que eu tinha e ainda fomos aos dias do cinema ver um filme escolhido por ele. Sinto que ele valoriza muito este tempo de filho único, e eu também gosto de poder dedicar-lhe mais atenção sem distracções. Este foi também o mês de mudar de graduação e de armação. O novo visual fica-lhe a matar!

Graças à M80 fui ver o Grease ao Salão Preto e Prata do Casino do Estoril. Adorei! Sou uma grande fã deste clássico dos anos 70. O filme tem a minha idade, foi rodado em 1978, e foi talvez o filme que mais vezes vi na vida. Tenho-o em Beta, VHS e DVD. Tenho CD's e Vinil do filme e ainda edições comemorativas com extras. Por isso sei as deixas de cor, as músicas e os tiques de todas as personagens. Gostei muito do musical embora a ordem cronológica de alguns acontecimentos e músicas esteja um pouco trocada o que me baralhou. Senti igualmente falta de algumas cenas importantes como o Danny levar a Sandy ao baile ou mesmo a memorável cena da corrida de carros. Acho porém que os bonecos criados, cenários e adaptação das músicas foi incrível e tiro o chapéu à actriz que interpretou a Betty Rizzo, simplesmente fantástica.

16.11.18

O que fazer em Saïdia? - 12 sugestões


O que fazer em Saïdia?

Saïdia não é daqueles destinos tradicionais de Marrocos com N excursões mesmo ali ao pé. Não. Em Saïdia há praia de água morna, bons hotéis e pouco mais. Para quem viaja com crianças é fácil entretê-las com praia e piscina mas aqui ficam algumas sugestões extra excursões mais demoradas:

1 - Andar de Camelo:

É logo daquelas coisas óbvias para quem viaja para Marrocos. Em Saïdia andamos de camelo na praia em vez de andarmos no deserto mas é engraçado na mesma. A Constança estava desejosa e só falava nisso, mas quando subiu para o camelo só repetia «Mamã isto não está a correr muito bem, isto não está a correr nada bem!» e tivemos de interromper o percurso mais cedo. Cada percurso de cerca de 10 minutos custa 10€. Negociámos para ela não pagar. 

2- Ir à praia:

Ir à praia é obrigatório. A areia é fina e um pouco mais escura que nas nossas praias e a água um pouco mais morna do que no Algarve e cheia de peixes que nos vêem beijar os pés. Há imensas gaivotas ao final da tarde. Populam vendedores de artigos, senhoras que fazem tatuagens temporárias e desenhos com henna. O nosso hotel tinha uma praia privativa com espreguiçadeira e chapéus de palha e até dava para levar a espreguiçadeira para a beira de água. O choque cultural dá-se quando vemos mulheres de Burquíni, confesso que de inicio me fez bastante confusão mas depois habituei-me. No fundo a turista era eu. 

3 - Fazer pinturas de henna:

As pinturas são feitas na praia e custam 15€ a mão inteira. A artista retoca a pintura antes do regresso a Portugal sem custo extra. Demora cerca de 15 minutos a realizar. 


4 - Fazer exercício:

É óptimo caminhar no paredão até à Marina, de dia e de noite. É seguro e faz-se bem. São poucos kms e um óptimo exercício diário. No hotel também fui uma vez ao ginásio e fiz aulas de hidro-ginástica na piscina e de Pilates na zona VIP. Foi realmente bom porque estou habituada a uma rotina diária de que não prescindi e que me permitiu apesar do tudo incluído voltar com o mesmo peso das férias. Na praia é possível jogar voleibol e outros desportos promovidos pelos animadores do hotel. 

5 - Andar no comboio:

Tomei conhecimento deste comboio num outro blog de viagens e agradeço a dica porque foi um ponto alto para a Constança. Este comboio que faz a ligação entre os vários hotéis e a praia e a Marina acaba por não ser usado pelos turistas que estão instalados no Melia Beach, uma vez que estão mesmo em frente à praia e a poucos metros da Marina. No entanto como passeio é giro e para os mais pequenos uma aventura. Além disso, faz a ponte entre os hotéis. Para quem quer visitar o Melia Saïdia Garden e jogar ou aprender a jogar Golf pode optar por este meio de transporte, alegre e arejado. 

6 - Visitar a Marina:

O hotel mais próximo da Marina é aquele onde ficámos instalados o Mélia Saïdia Beach e é perfeitamente viável ir a pé. Li imenso sobre a Marina e confesso que ia preparada para o pior. Desértica, mal tratada, cidade do faroeste abandonada e meio destruída, foi para isto que me mentalizei. Vou começar por dizer que de facto podia estar melhor conservado, sendo que é uma Marina recente mas que tem imensas coisas úteis do Multibanco aos CTT. A Farmácia deu-nos imenso jeito para arranjar um antistaminico para a Constança para as picadelas de melga. O Supermercado onde arranjei o descafeínado e montes de compras que trouxe para casa, incluindo alguns souvenirs. Restaurantes há imensos, discotecas, gelatarias, sitios para alugar barcos, carros, bicicletas. E lojas, neste aspecto é que é mais flagrante. Apesar de quando entramos na Marina ouvimos logo fado e vemos uma galeria a vender inúmeros quadros, depois andamos às voltas tipo labirinto até encontrar as próximas lojas. São um conjunto de cinco no total, algumas até abrem à noite. 

7 - Compras (na marina e não só):

O que comprar em Marrocos? Dá vontade de trazer tudo (porque é tudo barato) heheh, mas isto depende muito dos gostos. Trouxemos T-shirts para os miúdos, um puzzle para a Constança, um fato que ela vestiu lá e vai dar para o Carnaval. Trouxemos porta-chaves personalizados com nomes à mão como se pode ver acima e diversas bijuterias e também cestas para nós e para oferecer. O óleo de argan é outra daquelas coisas obrigatórias (apesar de ter um cheiro peculiar é um excelente hidratante). Cachimbo de água e shisha é outro artigo muito procurado, nós por cá não fumamos e não trouxemos. As tajines e os cinzeiros de água são artigos de peso mas que fazem parte do artesanato local. Trouxemos um cinzeiro para o padrinho da Constança e um espelho com janela em madeira. O artigo que mais me convenceu foram os babouche - uns sapatos marroquinos feitos à mão e em pele, super confortáveis e que podem ter várias cores. Comida é outro artigo que vale a pena, podemos não conseguir trazer frescos, mas temperos e mercearia conseguimos sempre. Café arábico, couscous e especiarias tipo caril são as melhores apostas. Malas, pufs e tapetes são também artigos muito procurados. 

8 - Animação do hotel:

Esta é uma óptima forma de passar o tempo para quem viaja com crianças, porque muitas vezes não podemos optar por excursões de várias horas para sítios onde é complicado circular com em sem carrinho. No nosso hotel para além do Kids Club que também tinha actividades havia provas diárias com prémios (nas imagens o Carlos a tentar marcar golo e a procurar colheres na piscina). E à noite havia discoteca para pequeninos, com músicas em português inclusivamente e festas de piscina para os mais crescidos. 

9 - Aprender as danças do ventre:

É daquelas coisas engraçadas e que valem a pena. Tentei entusiasmar a Constança que até adora dançar mas ela ficou de plantam a guardar-me e não quis participar. As danças de cintura são de facto mais femininas mas os homens lá também dançam. Na televisão à noite podíamos ver muitos homens a cantar e a dançar e é curioso como também mexem imenso as mãos. 

10 - Usufruir das amenidades do hotel:

O nosso tinha o Yhi Spa com massagens e tratamentos que eram inclusivamente um dos prémios mais apetecíveis das actividades propostas pelos animadores e que são um Extra em relação ao tudo incluído. No Mélia Saïdia Garden é possível ter aulas ou praticar Golf e ainda almoçar com vista para os Greens.

11 - Visitar Saïdia:

Não fomos mas eramos para ir. A pequena cidade fica perto é muito segura e económica e pelo que disseram os outros hóspedes muito interessante. Podem ver-se galinhas mortas à venda com galinhas vivas nos souks (=mercados). Dá para apanhar o autocarro, para viver a verdadeira experiência marroquina, que é super barato e muito seguro ou como opção um taxi, igualmente económico.

12 - Aquaparque Saïdia:

Para quem tem filhos um pouco mais crescidos esta é uma excelente opção. O Aquaparque abriu no este Verão de 2018, tem uma piscina de ondas de 1200, e um rio de 1900 , com árvores de água, piscinas e restaurantes e actividades que prometem agradar a todas as idades.