22.2.12

Kidzania


Ontem fomos à Kidzania. Depois de termos ganho um bilhete no blog Miúdos e Graúdos da Nestlé, lá rumámos com um Afonso Cowboy para o Dolce Vita Tejo. Nunca lá tínhamos ido, e eu não sei porquê sempre imaginei que seria à beira-rio, mas não. Deu para perceber que é um centro comercial bastante grande, apesar de termos ido directamente almoçar e logo de seguida para a Kidzania. Como o Afonso ía mascarado ofereceram-lhe o menu infantil no Pasta Caffe. 

Reposta a energia embarcámos no aeroporto internacional da Kidzania. Como o Afonso tem dois anos, ainda não paga, pelo que pedimos para trocar o seu bilhete de criança por um de adulto, e assim pagámos mais um adulto e entrámos os três. Neste país, as crianças pagam mais que os adultos, até porque estes só podem assistir, a acção é-lhes inteiramente reservada. 

Entrámos ao pé de uma fonte, munidos de um mapa e de um cheque que devemos levantar na Caixa Geral de Depósitos. A partir daí podemos passear pela cidade e procurar actividades que sejam adequadas para a idade deles. Em algumas, eles podem trabalhar e ganhar kidzos, e noutras, apenas podem ser visitantes. A partir dos 8 anos as crianças podem entrar sem um adulto, mas até aos 3 têm de estar acompanhadas na maior parte das actividades, pelo que nós aproveitámos ao máximo. Nem imaginam, brinquei tanto!!!! 

O Afonso, depois de levantar as notas, começou por construir uma casa de tijolos e cimento, e ganhou um ordenado. Dali fomos andar no carro dos bombeiros, e em seguida fomos às compras ao Continente (com um cartão e tudo!) e o Afonso ficou desolado por não o deixarem trazer o caranguejo para casa. Depois fomos à discoteca onde o Afonso (e a mãe do Afonso) dançaram e cantaram, e à casa do Urbano brincar mais um bocadinho. Dali fomos trabalhar no Mac e o Afonso fez uma sandes de carne, como ele lhe chama, verdadeira. Ali paga-se 10 kidzos mas ganhamos hambúrguer, pelo que acaba por ser um bom negócio. Depois disso trabalhou na reciclagem. Gastámos os kizdos remanescentes na loja da Kidzania num livrinho de actividades. 

Estivemos três horas no recinto sem darmos pelo tempo passar. Faltou-nos pintar, jogar futebol, escrever na editora, filmar na televisão, trabalhar na perfumaria, na loja de refrigerantes, no teatro, como modelo, nos correios, na policia, nas energias, no tribunal, na fabrica dos cereais, no fotografo, no hospital, no autocarro, no cabeleireiro, na escola, entre outros sítios que me devo estar a esquecer certamente. 

No final perguntamos a uma das funcionárias porque é que era sempre de noite ali e ela respondeu que era por ser de noite que eles sonham. Em todo o percurso são tratados por senhores e senhoras e o que senti é que é quase como brincar num monopólio gigante. 

Há contudo um ou outro aspecto menos positivo. É que na Kidzania, as regras não deixam de ser ditadas por adultos, e há um certo tempo de espera na maior parte das actividades. É necessário fazer um grupo para trabalhar no sítio e depois juntar uns quantos clientes. Acresce que os mais pequeninos só podem ser clientes na maior parte dos sítios, e muitas vezes ainda têm de esperar pela formação, pelo que acaba por se esperar muito em muitos sítios. 

Muito positiva é a gestão que ali é introduzida em jeito de brincadeira. Para se ter dinheiro para gastar na loja, no bar, na discoteca e noutros sítios é preciso ganhá-lo primeiro. É muito importante que as crianças percebam esta dinâmica desde pequenas e esta é um excelente maneira de as ensinar.

A partir de uma certa idade as crianças brincam sem pais, mas estes podem entrar para um zona reservada, onde dispõem de computadores, televisores e sofás. Existem casas de banho, cafés, e enfermaria no recinto.

No cômputo geral a avaliação é muito positiva e superou as minhas expectativas ;)

2 comentários:

shehimandanotherday disse...

Olá Vanessa :D


Então o Afonso aproveitou mesmo o Carnaval! Pena que na minha altura ainda não havia nada disso. Porém a minha irmã já lá esteve e adorou é super giro para eles, podem fazer um bocadinho de tudo :)

Obrigado pelo o teu comentário, significa muito para nós :D
e quanto à receita, não parece é mesmo fácil :) tens de experimentar... a cerveja e a baunilha dão-lhe um toque super bom e diferente. Fica descansada até o Afonso vai gostar :D
Normalmente adultos e crianças que vem cá a casa e nunca provaram destes, ficam rendidos pedem logo a receita. Na família é tradição e acreditas que não há ninguém que não goste? É mesmo verdade!

Um beijinho e boa quinta-feira :) *

Vanessa Casais disse...

Adoro o teu blog é perfeito ;)

Postar um comentário