22.12.11

A de Alfazema


No outro dia  falávamos do recém editado livro da Maria Barros «Casa Feliz» e de como alguns simples gestos podem melhorar o nosso estado de humor e bem-estar, mesmo sem nos apercebermos. Numa altura do ano em que passamos mais tempo em casa, importa torná-la o mais convidativa e confortável possível. Abrir as janelas para deixar entrar o ar, é um gesto simples que ajuda a tornar o ambiente menos pesado e mais fresco. 

Não acumular tralha é um objectivo a que me proponho continuamente. Gosto de ter espaço livre para receber alguma coisa nova e detesto perder tempo a limpar e a arrumar tralha. Muito embora isto seja fácil de interiorizar, é difícil de colocar em prática, sobretudo com crianças por perto. Têm roupa que vai sendo constantemente substituída porque crescem a uma velocidade muito semelhante à da luz. Rapidamente numa gaveta se misturam roupas curtas, roupas largas, e roupas à medida. Os brinquedos são outra luta. Quais é que eu posso arrumar lá em baixo? O Afonso parece que adivinha quando lhe retiro alguma coisa do quarto, com o seu super-radar. No outro dia no meio das arrumações dei com uma série de porta-chuchas por estrear. O Afonso nunca pegou, feliz ou infelizmente, na chucha e fez-me pena dá-los na altura. Como ando a secar Alfazema e já tencionava costurar uns saquinhos à máquina (até para ver se ainda me lembro como funciona) juntei o útil ao agradável e lá enchi umas embalagens plásticas de alfazema seca, para colocar dentro das bolsas. 

Cada vez que abro as gavetas da cómoda do Afonso sinto um cheirinho maravilhoso, e este pequeno gesto tornou as minhas manhãs e noites mais felizes. O som e o cheiro influenciam imenso o nosso estado de espírito, e os cheiros naturais, do ar fresco que entra pela janela do quarto ou de um bolo acabado de fazer a invadir a cozinha, são mais económicos que os dos ambientadores e muito mais prazerosos. 

2 comentários:

Ana P. disse...

Ótima ideia :)

Vanessa Casais disse...

;)

Postar um comentário