10.11.11

Quando brilha o sol


O sol devolveu-me o sorriso a meio da manhã, e as melhoras do Afonso fizeram o resto. Continua doente, continua atacado, e continua com um ponto, porque só deixou tirar dois da cabeça, mas já vai comendo, já faz disparates, e até adormeceu ao meu colo depois de almoço. Ao final da tarde o Afonsinho disse derretido que gostava de mim, e todas as minhas lamurias passaram e fiquei de coração cheio. Pouco importa o resto, se está tudo de pernas para o ar, se no final de contas acaba bem. 

Hoje a minha irmã faz 40 anos e devíamos de estar na sua festa de anos surpresa, mas infelizmente com o Afonso assim, não pudemos estar presentes. 

Hoje recebemos mais umas quantas surpresas pelo correio, que a sorte ao contrário da saúde tem batido à nossa porta. Sim, há raios de sol que iluminam mesmo os dias mais cinzentos. 

Quando o sol espreita, mesmo que no meio de chuva, tudo ganha vida. Da terra rompem sementes do ano anterior que estavam esquecidas. Tudo isto continua a surpreender-me. As hortas comunitárias aqui perto resplandecem vigorosas, que a chuva é diferente da água da torneira, nem que seja porque cai do céu e está mais perto do criador. 

4 comentários:

Ana P. disse...

Adoro o livro dos Merry Cupcakes! A horta está com bom aspecto. É grande!
Beijinhos e bom fim de semana Vanessa.

Vanessa Casais disse...

A horta está linda, mas esta não é a minha hehe, esta é a comunitária aqui pertinho de casa. A nossa é mais pequenina e menos organizada ;).

Bom fim-de-semana também Ana P..

eu disse...

Cresceu imenso a horta comunitária :D
Sabes que em frente ao Colombo tb fizeram uma?

Vanessa Casais disse...

Sério? Bem no centro da cidade ;) só é pena levar com os fumos da zona.

Postar um comentário